Ligue-nos gratuitamente

A importância da última milha no fortalecimento do comércio local

paquetería en comercio local

O comércio local é o motor de uma economia sustentável, fomentando o empreendedorismo, promovendo a identidade única de cada ambiente e fortalecendo a colaboração entre vizinhos. O comércio local impulsiona o crescimento económico das comunidades em localizações geográficas específicas, operando a nível local e oferecendo todo o tipo de produtos e serviços. Estes produtos e serviços são quase exclusivamente orientados para as necessidades dos habitantes locais: mercados locais, pequenas lojas de bairro, restaurantes… 

No entanto, as lojas que constituem a economia local, nos últimos anos, têm visto crescer o número de concorrentes: gigantes do comércio eletrónico e cadeias de lojas em todo o mundo. Unida esta circunstância à alteração nos hábitos de consumo globais, este tipo de lojas teve de se adaptar e, inclusivamente, começar a operar fora do seu espaço habitual. Um método de sobrevivência que também representa uma grande oportunidade de crescimento e rentabilidade.

A última milha do comércio local

Os altos e baixos que o comércio local teve de enfrentar nos últimos anos não foram poucos nem pequenos. Globalização, concorrência crescente (e mais poderosa), comércio eletrónico, novos hábitos de consumo, pandemia… No entanto, há uma luz ao fundo deste túnel escuro. A revolução digital está a provocar o ressurgimento do comércio local, adormecido há demasiado tempo. E, neste cenário, a última milha desempenha um papel muito importante.

paquetería para comercio local

Se analisarmos as vantagens e desvantagens do comércio local em relação às grandes plataformas online ou às multinacionais, verificamos que o atendimento personalizado e a relação estabelecida entre o comerciante local e o consumidor são muito mais poderosas. No entanto, estes mesmos comerciantes sofrem quando se trata de competir em termos de prazos de entrega rápidos e eficientes, uma vez que se trata de um modo de venda para o qual não estavam preparados até há relativamente pouco tempo. Isto deve-se quer à falta de conhecimentos, quer à falta de recursos ou à dificuldade de acesso aos mesmos.

Atualmente, as entregas ao domicílio ou pontos autorizados é a oportunidade para o comércio local se destacar e competir em pé de igualdade com as grandes empresas. A partir da última milha, as empresas locais enfrentam as suas desvantagens: adaptam-se às novas formas de compra online e oferecem entregas rápidas e eficientes. Ao mesmo tempo, reforçam a sua relação comercial com a zona local e circundante. Uma relação que os consumidores tendem a apoiar para ajudar a manter vivo o tecido económico local. Ao apoiar as empresas da sua comunidade, os consumidores contribuem para a prosperidade da zona e aumentam o seu sentimento de pertença.

Estratégias para o sucesso da entrega no comércio local

A entrega é uma fase crucial no processo de compra ou contratação de qualquer produto ou serviço. A satisfação do cliente dependerá deste último elo da cadeia de fornecimento. Por conseguinte, é fundamental prestar especial atenção à sua configuração. Ainda mais se uma loja local quiser destacar-se da concorrência. Assim, elaborar estratégias que ajudem a otimizar a entrega e que, ao mesmo tempo, sejam viáveis com os recursos de que o estabelecimento dispõe é um fator determinante.

Neste post não vamos abordar os pontos que são atribuíveis a qualquer empresa que queira começar a oferecer serviços de última milha (sistemas logísticos eficientes, planeamento de rotas…), mas vamos concentrar-nos naqueles que estão especialmente associados ao comércio local. Em muitos casos, este tipo de negócio não dispõe de recursos suficientes para adquirir uma frota de veículos que lhe permita realizar as suas entregas. No entanto, também não querem recorrer a empresas de transporte, pois preferem manter uma relação próxima e pessoal com os seus clientes, controlando todo o processo de venda.

Perante este dilema, existe uma solução clara: a configuração da sua própria frota de veículos na modalidade renting. Desta forma, qualquer empresa local pode organizar o seu serviço de entregas de forma personalizada, sem realizar grandes desembolsos ou investimentos, nem se prender a veículos específicos. Os contratos de renting permitem o acesso a orçamentos mensais individualizados, que incluem uma série de benefícios como a manutenção incluída e que podem ser cancelados quando já não forem necessários. Deste modo, estão acessíveis a qualquer tipo de negócio. Podem assim gerir diretamente o seu serviço de entregas.

A seleção de veículos alternativos para a última milha também permite poupar custos ao comércio local. Por outras palavras, escolher veículos elétricos, com custos de funcionamento e manutenção mais baixos. E mais sustentáveis, um fator muito importante quando se trata de comércio de proximidade. A este respeito, vale a pena referir que, em muitas ocasiões, a administração das cidades ou localidades promove incentivos e apoios para os comerciantes que apostam em serviços de entrega eficientes e sustentáveis. Serviços de entrega que também podem ser partilhados com outras empresas através da formação de associações ou cooperativas de entregas, de forma a poupar custos.

COMPARTILHAR

Pode te interessar